ENTRE... LIVROS

Maio 31 2013

Para todas as crianças

 

Hoje é Dia da Criança

 

Hoje é Dia da Criança
e eu quero dar-te a Lua.
Mas há meninos sem nada
que dormem sós numa rua.

 

Hoje é Dia da Criança,
na aula lês teus direitos.
Mas há meninos nas obras,

a mando de alguns sujeitos.

 

Hoje é Dia da Criança                                                                                                  
saboreias chocolate.
Mas há meninos raptados
que sonham com o resgate.

 

Hoje é Dia da Criança
em todo o Planeta Terra.
Mas há meninos que morrem
em combates, numa guerra. 

 

Hoje é Dia da Criança,
tu brincas, cantas, sorris.
Um dia, cada criança
como tu será feliz.

 

Luísa Ducla Soares in O Livro das Datas                                                                        

 

O Dia da Criança

 

É um dia em que cabem
todos os dias do ano
e as coisas mais bonitas
que não podem causar dano:
os sonhos e os brinquedos,
as festas, as guloseimas,
a sombra de alguns medos,
a casmurrice das teimas
e também, com fartura,
o afecto e o carinho
com que se faz a ternura,
para mostrar ao mundo
que a guerra é uma loucura e que o gosto de ser menino
é o nosso eterno destino.

José Jorge Letria in O Livro dos Dias

 

 

Para os pais que também foram crianças.

Um poema para refletir.

 

Não Tenho Tempo, um lindo poema dito pelo ator Vitor de Sousa

publicado por Biblioteca às 11:32

Maio 18 2013

O poeta NUNO JÚDICE foi na quinta-feira (dia 16 de maio) galardoado com o XXII Prémio Reina Sofia de Poesia Ibero-Americana, atribuído pelo Património Nacional espanhol e pela Universidade de Salamanca, no valor de 42.100 euros.

O prémio reconhece o conjunto da obra poética de um autor vivo que, pelo seu valor literário, constitua uma contribuição relevante para o património cultural partilhado pela comunidade ibero-americana.

O júri considerou o poeta, ensaísta e ficcionista português como autor de uma poesia "muito elaborada, de um classicismo depurado", mas, ao mesmo tempo, com um grande compromisso com a realidade.

Nuno Júdice, de 64 anos, nasceu na Mexilhoeira Grande, Algarve, formou-se em Filologia Românica pela Universidade Clássica de Lisboa e é professor associado da Universidade Nova de Lisboa, onde se doutorou em 1989.

Entre 1997 e 2004 desempenhou as funções de conselheiro cultural e director do Instituto Camões em Paris.

Tem publicado estudos sobre teoria da literatura e literatura portuguesa.

Tem livros traduzidos em várias línguas, destacando-se Espanha, onde tem uma antologia na colecção Visor de poesia, e França, onde está publicado na colecção Poésie/Gallimard.

Dirigiu até 1999 a revista Tabacaria, da Casa Fernando Pessoa.

Em 2009, assumiu a direcção da revista Colóquio/Letras da Fundação Calouste Gulbenkian.

É autor de 30 livros de poesia, entre os quais A Matéria do Poema e Guia dos Conceitos Básicos, editado em 2010.

O autor, que começou a publicar poesia em 1972 – A Noção do Poema e O Pavão Sonoro –, tem escrito também obras de ensaio, teatro e ficção.

A Dom Quixote publicou, no passado mês de Fevereiro, a novela A Implosão.

Além do universo hispânico, Nuno Júdice tem obras traduzidas em Itália, Inglaterra e França.

O escritor já foi galardoado com vários prémios literários, nomeadamente o Prémio Pen Clube, em 1985, o Prémio Dom Dinis, em 1990, o Prémio da Associação Portuguesa de Escritores, em 1995, e o Prémio Fernando Namora, em 2004.

 

PARABÉNS AO POETA

VIVA A POESIA!

publicado por Biblioteca às 18:26

Maio 04 2013

Sinopse 

Uma pequena aldeia alentejana transforma-se em Jerusalém graças ao amor de uma rapariga pela sua avó, cujo maior desejo é visitar a Terra Santa. Um professor paralelo a si mesmo, uma inglesa que dorme dentro de uma baleia, uma rapariga que lê westerns e crê que a sua mãe foi substituída pela própria Virgem Maria, são algumas das personagens que compõem uma história comovente e irónica sobre a capacidade de transformação do ser humano e sobre as coisas fundamentais da vida: o amor, o sacrifício e a cerveja.

 

O Autor

 

Afonso Cruz, escritor, ilustrador, cineasta e músico, nasceu na Figueira da Foz, em 1971.

Na literatura, estreou-se com o romance A Carne de Deus, em 2008.

Foi o vencedor português do Prémio da União Europeia para a Literatura em 2012.

Depois de ter sido distinguido com este prestigiado, Afonso Cruz venceu com o seu romance Jesus Cristo Bebia Cerveja a categoria Livro Português do Ano (2012) na primeira edição dos Prémios Time Out Lisboa.

Para além desta obra, editou ainda, em 2012,  o segundo volume da Enciclopédia da Estória Universal, que reúne ficções curtas que remetem para obras e autores inventados.

Estas duas obras juntam-se a um percurso literário que inclui, por exemplo, O Pintor Debaixo do Lava-loiças, A Boneca de Kokoschka, A Contradição Humana e Os Livros que Devoraram o Meu Pai, distinguido com o Prémio Literário Maria Rosa Colaço.

O primeiro volume da Enciclopédia da Estória Universal valeu-lhe o Grande Prémio de Conto Camilo Castelo Branco.

O escritor é ainda um dos elementos da banda de blues The Soaked Lamb e ilustrador de vários títulos para a infância.

 

Os títulos a vermelho estão disponíveis na nossa Biblioteca.

publicado por Biblioteca às 10:35

Blog da Biblioteca da Escola Secundária c/ 2º e 3º Ciclos D.João V
Maio 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


Recursos Educativos Digitais
DIIGO
pesquisar
 
contador

contador
Professora bibliotecária
Joana Generoso
Professora responsável pelo blog
Joana Generoso
subscrever feeds